quarta-feira, 12 de janeiro de 2011



Despertar.

Ouvi por muito tempo a sinfonia das lembranças
Fados de saudade, que baixinho...sob a batuta da dor, falavam de um passado morto.
Flash Back de uma outra vida.
Vídeo-tape da memória, com os borrões e falhas em VHS antigo e defeituoso no meu cérebro.
Depois a escuridão fez-se em silêncio para a musica que em concerto, consertou minh’alma.
Espreguiço-me ainda deitado no colo do tempo.
Acordo ´pra vida, que à tempos dá um tempo me esperando.
Rio do medo, que com medo ronda o quarto , vendo que eu o abandono
A minha solidão, sentindo-se acompanhada, abre a porta da minha alma e me chama pra sair !


JJ -11.01,11

4 comentários:

Elisabeth Lorena Alves disse...

Amigo Poeta
EStava com saudades e vim aqui de visitar.
Me despeço delicada com as minhas próprias memórias que são revigoradas por teus belos escritos.
Elisabeth Lorena Alves

http://eliselorena.blogspot.com/2011/01/nao-da-para-interromper-leitura-livro.html

Tânia Mara Camargo disse...

Meu querido Padrinho!
Saudades tantas, vim beber da sua
poesia e brindar esse nosso
reencontro.
bjs

Tânia Mara Camargo disse...

Meu querido Padrinho!
Saudades tantas, vim beber da sua
poesia e brindar esse nosso
reencontro.
bjs

Tânia Mara Camargo disse...

Meu querido Padrinho,
SAUDADES TANTAS.
VIM BEBER DA SUA POESIA
E BRINDAR AO NOSSO REENCONTRO.
BJS