quarta-feira, 9 de junho de 2010



Idas e Voltas
--
(por Maylise Bruneto)
--
E dentro de mim o coração batia forte
sem saber o que fazer
nao se deixava levar por aquele relance
precisava renascer.
-
Sentimentalismo banal
sempre percebi
são feitas escolhas;
nem posso escolher.
-
Deprimir, sofrer, jurar,
jurar nunca mais amar.
Mentir, voltar, ferir;
novamente ferir.
-
Clemente, inocente, ingenuo,
simples assim é o coração.
Vive em busca de algo perfeito
mas se deixa levar por pura fascinação.
-
Ao seu derradeiro amor
fez a escolha de ser eterno,
pois este, correspondido era;
ingente desilusões o incomodavam.
-
agora vive uma paixao
em que laços se entrelaçam
e chegando à extrema doçura
vivem o júbilo do infinito!!
-
(Esse bebezão, Maylise, de 15 aninhos,
me enviou este seu poema por email,
adorei-o e o posto neste meu cantinho
pra dividir com voces e por a luz do mundo
esse encnto de menina-poeta)

3 comentários:

kauana disse...

Perfeita a poesia...é muito linda

Maylise disse...

oown que honra ter minha poesia no teu blog, valeu !!

Mel dupla personalidade disse...

Passando para agradecer sua visita e o poema que me deixou como um perfume na minha página ...
Estou te seguindo!
Adorei teu blog.
Bjs doces como mel.
*´¨)
¸.·´¸.·*´¨) ¸.·*¨)
(¸.·´ (¸.·` *♥ Mel Dupla Personalidade ♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥