segunda-feira, 21 de maio de 2012

Soneto dos Condenados

                                                                                 

Mulher pode ser que morras
e eu te veja em seu caixão
talvez o inverso é que ocorra
não posso dizer que não.

Mas em qualquer dos dois casos
foi-se a chance do perdão
deixamos vencer o prazo
só resta a condenação.

Nesta vida se encontramos
pra buscar a expiação
dos erros que cometemos.

Ferindo e não perdoando
na próxima encarnação
com mais pecados iremos!!!

4 comentários:

Reflexo d'Alma disse...

Puxa...
que forte!
Mas tão real..
sempre ha possibilidade de perdão..
não?
"Mas em qualquer dos dois casos
foi-se a chance do perdão
deixamos vencer o prazo
só resta a condenação."

COLHENDO FLORES ENTRE ESPINHOS disse...

Nossa, profundo!!
bjs

silvioafonso disse...

.



Aos seus argumentos, João,
nada se compara;

Amanha, 23, escreverei no
Blog do Bar do Escritor
e
adoraria contar com a sua
crítica no rodapé do meu
texto.

http://bardoescritor.blogspot.com.br/


Conto com você, amigo.

silvioafonso







.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Uma poesia sobre situações da
vida forte.
Obrigada pela sua visita e
comentário ao meu intemporal-pippas.
Não sei se vá visitou o meu
http://sinfoniaesol.wordpress.com
Voltarei sempre que possa.
Bj.
Irene Alves